sexta-feira, 16 de junho de 2017

Crônicas problematizadoras #2: Essa tal de heteronormatividade

Quem foi que inventou que o mundo é heterossexual? Sério, eu preciso de um nome, porque essa pessoa e eu precisamos ter uma conversa muito séria.
Eu já passei todo o diálogo em minha cabeça algumas vezes, então sei mais ou menos como começar. Seria algo mais ou menos assim: “então, não sei o que você queria disso tudo, mas já pensou quantas pessoas foram excluídas das representações que a gente encontra por aí? Tudo isso porque você achou que seria uma boa ideia que tudo fosse um único padrão, o heterossexual”.
Você já pensou como sua cabeça enxerga tudo dessa forma, como se todos fossem configurados pela natureza para serem heterossexuais? Quer dizer, somos bombardeados de todos os lados com esse tipo de mensagem, enxergando aquele padrão homem e mulher de romance tradicional. Parece tão irrefutável quanto a lei da gravidade, não é mesmo? Uma lei universal e imutável, que condiciona todo mundo a entender que sentir atração pelo gênero oposto ao seu é inevitável e automático.
Mas as coisas não são bem assim e, por mais que a sociedade nos molde na forma heterossexual, a verdade é que a atração humana não pode ser colocada dentro de uma caixinha única e limitadora.
É muito difícil encarar um mundo que só apresenta uma opção como a válida, sabia? Talvez você não entenda isso, e é compreensível caso seja heterossexual. Tudo a sua volta está a seu favor, nada contraria a atração que você tem. Nada condena a sua afetividade, muito pelo contrário.
Mas se você sente o deslocamento e a invisibilidade dentro da heteronormatividade vigente, estamos juntos nessa. É triste e opressor não nos encontrarmos por aí. Às vezes chega a ser desesperador a negativa que a sociedade nos dá, não somente na forma dos preconceitos descarados que estão por toda a parte. Encontrar poucos filmes, livros, séries que nos representem (isso quando o fazem direito) é ter a negativa em nossa cara todos os dias.
Por isso quero saber: quem inventou que o mundo é heterossexual?
Quero saber, pois preciso dizer a essa pessoa qual é a sensação que vivemos todos os dias. Preciso mostrar as dificuldades que enfrentamos em nos descobrir, em nos achar e em aceitar nossa essência. A venda da heteronormativdade é algo que afeta todo mundo, aprisionando as pessoas a um padrão opressor e dolorido. Não deveríamos limitar o que somos apenas pelo que a sociedade acredita ser a única forma aceitável de amar.

E então, vocês por um acaso conseguem me dizer com quem preciso falar sobre essa tal hetronormatividade?

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...